quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Meu nome é Geni.

Dificilmente leio outros blogs que os que não constam dos meus preferidos. Quando o faço é por... ah, sei lá. Neste caso, tive curiosidade sobre ela desde que vi uma foto sensual sua no queridíssimo (e rídiculo!) Ricardo e logo depois, no mesmo bat-local uma crítica dele elogiando o livro que ela tinha publicado. Pensei- como assim, bial? Como vocês podem ler aqui já assumi ter alguns preconceitos. Ler um dos blog da Juliana fez-me quebrar de vez por todas com um deles. Ela é uma mulher linda, loira, gostosa, maquiada e sim, muito, muito inteligente. Escreve lindamente e agora está aqui ao lado, entre as preferidas e preferidos desse humilde cafofo.

Continuando... estava eu lendo a Jú (ó eu já íntima) e plim! saquei algumas coisas sobre blogs e afins. Parece que não é mais de bom-tom (algum dia já foi?) ter blog estilo diarinho. Esse é um blog diarinho. Merda, eu sempre fora de moda!

Mas assumo e já bradei por aqui que ele (o blog) foi pensado como tal. Gosto. Me basta. Mas enfim, se eu encher o saco, por favor me avisem que eu contrabalanço com mais cultura, política, arte, enfim, menos eu. Não, não me avisem que não vai adiantar nada. Sou ególatra assumida mesmo.

A outra coisa sacada é que por vezes não coloco links e deixo de dar os devidos créditos a alguém ou algum site de quem peguei alguma frase ou texto de poetas, letras de música e afins. Não sei se isso pode. Pode? Se não pode, please, minhas mais humildes desculpas aos quais eu preguiçosamente deixei de mencionar/linkar.

Mas voltando a mim, meu assumido assunto preferido, decidi mudar de João Pessoa. Pois é. Daqui a um ano volto para minha terra natal de mala, cuia, mãe e o dinheiro da casa que venderemos. Para quem não sabe nasci em Recife e é para minha linda cidade de rios, trânsito infernal, violência, tubarões e antigos amores que voltarei. Para os meus daí, mando um recado made in gostoso de olhos azuis: Encham a casa de flor!

Um dos motivos da minha decisão foi a minha noite de ontem. Liguei para o amigo amado e fui bater na casa dele. Cerveja, vinho, saída para o boteco preferido, sinuca, mais cerveja, mais cerveja. Um cara que já mencionei por aqui estava no tal bar e é amigo do amigo-amado. Ficamos mais, bebemos mais e mais e mais. Fomos todos para o pé-de-cana de final de noite. Cerveja. Mais. Não sei se fui eu (de acordo com muitos provavelmente eu devo ter estimulado) mas já de manhã, indo deixar o tal cara em casa, no carro do amigo-amado, eis que o dito-cujo coloca minha mão lá. Lá mesmo onde você pensou. Não faça cara de horror, que eu nunca disse que era uma pessoa meiga, mas sim eu ainda tenho chance, porque eu NÃO permaneci com a mão onde ela foi colocada. E sim, um pequeno detalhe, eu não tinha sequer beijado o cretino.

Então tá, hoje, de ressaca, cheguei a uma triste conclusão entre palavrões e garrafas de água: Minha fama nesta cidade não está das melhores. Eu não tenho sido e porra! não consigo ser uma boa menina. Então como já disse uma sábia senhora, eu nunca vou arrumar um homem que me queira com o comportamento que tenho e do jeito que bebo. Pelo menos por aqui. Não adianta mas nem fingir ser artista para poder bancar a louca-maldita-bukowiskiana. Perdi o charme (suspiro triste e profundo).

Bom, talvez eu não arrume homem em lugar nenhum mesmo, o que é no final das contas o sonho e a finalidade da vida de toda mulher. Mas em todo caso enchi o saco deste lugar. Uma cidade que acha que pode colocar minha mão onde quer não é para mim. Ou eu para ela.

Então, antes que eu apanhe de alguma esposa ou acabe acordando numa banheira com gelo sem lembrar de nada da noite anterior e sem um rim partirei, meus caros. Volto com o rabinho entre as pernas e a credibilidade destruída para o lugar que me viu dar o primeiro berro. Voltarei e não olharei para trás que não quero virar estátua de sal nem nada.

Então eis os planos feitos hoje em parceria com a nobre e honrada mãe desta que vos escreve. Mais oito meses por aqui (bangalô três vezes) para acabar com minha fama de vez por estas bandas (valhei-me Nossa Senhora do Babado Forte!), dois anos de Mestrado em Recife e debandamento para a Itália virar travesti em Roma como boa brasileira que sou (mulher pode?). Mas com diploma que eu sou limpinha.

E se alguns dos meus cinco leitores quiser-me para uma temporada paga com lavagens de prato e varridas de casa, pode deixar um comentário com a sua proposta. Inclua a passagem nas obrigações do proponente, faz favor. É, ainda estou lisinha da silva Xavier. E se também algum dos meus cinco leitores tiver um amigo legal para me apresentar, tamo topando. Nem precisa ser assim uma Brastemp, porque aqui entre nós, e de acordo com toda essa gente daqui, não to com essa bola toda não.

Meu nome é Geni.

4 comentários:

Leonardo Xavier disse...

S., eu gosto daqui do jeito que isso aqui é. E tem gente escrota em todo lugar. Eu tou aqui no Recife e também tem um monte de gente que não sabe respeitar os limites alheios.

Caminhante disse...

S., não adianta mudar de cidade e se sujar na outra. Já que você vai embora mesmo, apronte aí tudo o que tem pra aprontar, até matar toda vontade, até mudar o que tem que ser mudado. Chegue limpa e pura em Recife, começando do zero para os outros e cheia de bagagem por dentro...

Ricardo Chicuta. disse...

Eu nunca colocaria sua mão naquele lugar sem te pagar um jantar romântico antes.Sou um cavalheiro afinal das contas.
Por coincidência vou ver a Juliana hoje e cobrarei 10 reais por este post elogioso.

Juliana Dacoregio disse...

Gata, querida.... obrigada pelos elogios e tudo mais!!! O Chicuta que me avisou do teu post. Que bom que quebrei alguns de seus preconceitos! Agora tbm vais pra minha lista de "recomendo com força" do Escrava das Letras!
bjão

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...