sábado, 5 de fevereiro de 2011

Desejo

Ela tem por esses dias estado bem presente na minha vida. Hilda Hilst. Amo o que ela escreve. E como o erotismo é quase sagrado em suas palavras (ela mesmo já o afirmou). Compartilho então com vocês, um bocadinho que seja, amores meus. Porque eu estou toda trabalhada na liberdade e no desejo.

Ver-te. Tocar-te. Que fulgor de máscaras.
Que desenhos e rictus na tua cara

Como os frisos veementes dos tapetes antigos.
Que sombrio te tornas se repito
O sinuoso caminho que persigo: um desejo
Sem dono, um adorar-te vívido mas livre.

E que escura me faço se abocanhas de mim
Palavras e resíduos. Me vêm fomes
Agonias de grandes espessuras, embaçadas luas
Facas, tempestade. Ver-te. Tocar-te.
Cordura.
Crueldade.

em «Do Desejo» - Hilda Hilst

2 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Hilda? Estamos chiques, benhê. Eu gosto.

Menina no Sotão disse...

Adoro Hilda Hilst e sua sexualidade natural. Fica tudo tão intenso e provocante. Dá vontade de visitar a pele do outro e se esquecer por lá.
bacio

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...