quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Amigos, músicas e carangueijos

Eu amo meus amigos, muito, muito. Sou adepta fervorosa da teoria de de que "amigo meu não tem defeito". Complemento: Tem características. Enfim, amo meus amigos por tudo. Sua beleza, inteligência, glamour, mas principalmente por seu bom gosto musical.

Esta é a música que T. eternizou para nós com sua linda voz dia desses. E recomenda. Emocionem-se com:



Achou pouco? Esta outra me foi veementente aconselhada pela amiga-esposa.



E falando em amizades e músicas. Ontem eu saí com a outra S. e E. que acabou indo cedo para casa. Em algum momento da noite, a outra S. se deu bem e eu, boa amiga que sou, afirmei que também ficaria bem, que ela podia ir transar enlouquecidamente na santa paz do Senhor.
Só que não fiquei. Bem. Mas fiquei sem dinheiro. Resumo da opereta. Quatro da manhã, o bar fechando, uma chuva de desabar telhados e eu ligando para todos os amigos motorizados. O problema foi resolvido, enfim.
A questão é que entre os amigos que não atenderam aos meus telefonemas estava o amigo-beijado (que é músico, por isso amizades e música, sacaram? sacaram?). Me dei conta só hoje quando acordei que podia ter soado meio paixão-desesperada-ela-vai-se-matar-está-bêbada-e-descobriu-que-me-ama uma ligação minha tão tarde. Então resolvi mandar uma mensagem me justificando (não só para o amigo-beijado, mas para todos os sete outros incomodados). Ele me ligou de volta. Disse que eu ligasse quando quisesse, que tudo bem e blábláblá wisckas sachê. Enquanto eu murmurava hunruns pensava: então porque não atendeu, porra?
Algumas horas depois desse momento telefônico, fui dar um cochilo e quando acordei tinham duas ligações não-atendidas do dito-cujo no celular. Liguei de volta (oi?).
Agora é que vem o babado, então se senta...
O amigo-beijado é um dos integrantes do harém da outra S. (que quando soube do ocorrido riu e mostrou sua verve solidária, que divide bens entre os menos favorecidos).
Bobagem?
Ele é também o melhor amigo do homem-zen.
Tá passada, minha filha?
Pois então morra de vez, porque ele falou que tinha ligado porque estava num restaurante com homem-zen (que está sem celular) e o boymagia queria falar comigo. Tá durinha? Pois apodreça sabendo que ambos queriam confirmar uma carangueijada* (eu, eles e a outra S.) para esse fim-de-semana.

Introjetou, baby? Então, vamos as opções:

Opção 1: O amigo-beijado está muito a fim da outra S., e já que ela é muito minha amiga, ele se prestará ao papel de confraternizar com uma louca beijoqueira que fica, coincidentemente, vez ou outra com seu melhor amigo.
Opção 2: O homem-zen está tão na seca, que não só quer falar comigo por telefone quanto também quer me ver para dar uma trepadinha básica e tamanho único. Como é só sexo mesmo nem interessa o fato de eu ter beijado o melhor amigo dele.
Opção 3: O homem-zen está muito a fim de mim, que não só quer falar comigo por telefone quanto também quer me ver para me pedir em casamento. Como é amor nem interessa o fato de eu ter beijado o melhor amigo dele.
Opção 4: O homem-zen tem manias estranhas, que envolvem algemas, chicotes e mulheres que beijam seus melhores amigos.
Opção 5: O amigo-beijado não contou ao homem-zen que nos beijamos. Quer que fiquemos todos bebâdos para enfim abrir o coração entre lágrimas emocionadas e juras de amizade eterna.
Opção 6: Eles querem me matar. Ou fazer sexo grupal. Ou fazer sexo grupal e me matar. Ou me matar e fazer sexo grupal. Tá, vocês entenderam.
Opção 7: Todo mundo é maduro, adulto e civilizado e só eu, uma pobre criatura careta e ultrapassada acho estranha uma situação tão normal e simples como essa.
Opção 8: Caralho, mulher é tudo bicho doido mesmo, um telefonema e essa criatura já desenvolveu tudo isso?

Aceitamos sugestões que sirvam para que eu continue mastigando esse chicletinho mental. Grata.

* Carangueijada é um estranho e curioso hábito do litoral nordestino. Consiste em matar bichinhos indefesos (os pobres dos carangueijinhos), cozinhá-los em uma panela com temperos variados, munir-se de martelinhos e tábuas de madeira. Bater, quebrar, chupar, se melar e resmungar de satisfação durante horas e horas. Intercala-se com cerveja gelada ( a única parte que gosto e participo nesse ritual primitivo).

4 comentários:

Ricardo Chicuta. disse...

Vou ficar com a opção 8.
E sobre a música do boto só tenho uma coisa a dizer:
MEUDEOS MEUS OUVIDOS,MEUS OUVIDOS.SANGUEEEEEEEEEE!!!!!!!!!!

Borboletas nos Olhos disse...

Uma pequena correção: amigo não tem defeito, tem características peculiares, rsrsr. No mais, fico com a opção 9. Bjs a todos, inclusive ao boto rosa.

Leonardo Xavier disse...

Primeiro: Eu penso que os amigos são as pessoas cujos defeitos eu consigo aturar. No entanto, como a gente tem que cuidar de quem a gente gosta... recomendo que você faça um curso de educação musical intensivo com eles.

Segundo: Quanta a essa tua ciranda amorosa, eu diria que é a opção número 9: que confusão danada!

Terceiro: Discordo totalmente que os caranguejos sejam indefesos! Um já me deu um beliscão no dedo terrível.

um grande abraço

Antônio Luiz disse...

Querida Boto Rosa é tudo de melhor que já ouvi na minha vida (KKKKKKKKKK), porém fico com a opção 8, pois lhe conhecendo bem esta é a que melhor se encaixa amiga.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...