sábado, 17 de setembro de 2011

Né?

"Mais do que amor, do que dinheiro, do que religião, do que fama, do que justiça, me dê verdade."

Faz tempo que eu não escrevo aqui.

Também faz tempo que eu não encontro Kinha, que eu conheci em Noronha, quando morei lá há tantos anos atrás. Então recomecemos, com algo que ela falou de sí mesma e eu readaptei.

"Faz quase 20 anos que eu saí de Noronha. Moro com minha mãe e meus desejos de solidão. Adoro a lua. Fico cega no entardecer. Adoro a natureza, principalmente vista de uma janela de hotel cinco estrelas. Sempre me atraso. Detesto esperar. Sou organizada. Às vezes. Só gosto da bagunça. Não gosto de muito barulho, mas também não gosto de muito silêncio. Não gosto de novela. Não gosto de hospital. Vivo melhor sem a ideia de Deus. Não vivo sem café. Não vivo sem música. Não vivo sem internet. Não vivo sem pessoas. Se eu pudesse sempre teria cerveja na minha geladeira. Adoro dormir. Adoro acordar tarde. Gosto das minhas tatoos. E gosto do meu corpo. Eu gosto de usar roupas na cor preta. Gosto dos azuis. Gosto de morar em João Pessoa. Amo ser Recifense.
Descobri que tenho mais amigos do que achava que tinha. Descobri que eu sou linda. Descobri que sou amada. Descobri que não vivo sem celular. E descobri que tenho os melhores amigos que alguém poderia ter. Eu não sei dirigir bem ainda. Eu tenho facilidade para engordar. Eu não queria ter que pintar o cabelo, mas não nunca deixarei de fazer isso. Um dia eu assumirei meus cabelos brancos.
Um dia eu farei o caminho de Santiago de Compostela. Ano que vem farei meu mestrado. Um dia voltarei a morar em Noronha. Um dia eu faço um cruzeiro. Eu odeio o inverno. Odeio frio. Eu amo a primavera. Eu gosto muito de chocolate. Eu não uso muita maquiagem. Eu já disse que não vivo sem café? Nunca aprendi a comer salada. Sei cozinhar. Bem. Detesto alimentos saudáveis. Eu tenho preguiça de cozinhar quando não tem festa. Eu amo dançar. Mas danço sempre no mesmo ritmo, qualquer ritmo. Sempre de olhos fechados.
Eu não gosto de orgulho e arrogância, porém sempre sou. E eu odeio quando eu sou orgulhosa e arrogante. Eu odeio odiar. Eu odeio ser criticada. Nem sempre fui simpática. Sempre fui educada. Sempre fui observadora. Nunca aprendi a ter paciência.
Não respeito todos. Gosto de mandar as pessoas tomarem no cú. É minha prova de amor, de que eu confio em você a ponto de mostrar meu pior. Aprendi a parar de julgar as pessoas. Aprendi a aceitar. Às vezes eu me estresso, e às vezes as pessoas me estressam. Odeio ente que tem medo. Odeio ser excluída. Às vezes trato as pessoas bem demais. Às vezes sou simpática demais. Não gosto de abraços. Gosto de beijar de língua. Gosto de sexo. Gosto de ler. Gosto de escrever. Gosto de dar presentes. Gosto de ver filmes. Gosto de flores.
Acredito que nada acontece por acaso. Eu gasto dinheiro muito fácil. Eu gosto demais de fazer compras. Adoro rir. Adoro rir de mim mesma. Adoro fazer palhaçadas. E adoro rir das minhas palhaçadas. E da dos outros. Amo sushi antes de todo mundo. Eu gosto de falar. Eu não sei o que é amor-próprio sem que me amem.
Já falei, já cantei, já dancei em público. Já participei de peça de teatro. Eu canto alto. Adoro fotografia. Eu sou artista. Me conformei que nunca farei aulas de violão. Tenho medo de ser assaltada. Fumo pra caralho.
Eu gosto de falar direito e de escrever direito o português. Eu gosto de conhecer pessoas. Eu gosto de fazer novas amizades. Eu tenho um blog. Eu tenho TPM. Eu não gosto de ficar sozinha. Eu amo beber com minhas amigas. Minha mãe não sabe cozinhar. Eu amo os meus amigos. Eu não vou ser ser mãe, assumi que nunca quis. Eu amo minha mãe. Eu percebi que não tenho mais tanta cara de criança, porém ainda ninguém diz que pareço ter trinta e seis anos. Ano que vem eu farei trinta e sete anos. Eu cresci! Eu sou assim... por enquanto..."

4 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

Bom, eu fico com dinheiro e amor, então. De verdade eu já tô de saco cheio. Quero mais é uma realidade inventada, rs.

Amei o texto. Muito e mesmo. Bjs

Menina no Sotão disse...

E eu descobri o que tem por trás da letra S. Ok. Eu demorei, mas eu sou assim mesmo. Certas letras me seduzem e eu fico com elas e quando percebo que dizem mais do que dizem fico atormentada. Mas gostei do que há por trás do S.
ai ai ai
Eu amo vinho e não serei mãe, a não ser de cachorros, aqueles de quatro patas. Eu adoro criança, no Japão... Vivo bem com elas por lá.
bacio

Leonardo Xavier disse...

Eu gosto dos seus textos e tava com saudades deles.

beijos

Francy´s Oliva disse...

Sempre digo que a palavra Né diz muitas coisas, né.
Também detesto esperar e adoro a natureza e aprendi comer salada, porque não sei cozinhar(rs).
bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...