terça-feira, 17 de agosto de 2010

Eu sou um poodle

O sonho

A realidade

Eu sou um poodle. Porque eu mereço e meu pai é Murphy. Trabalho como uma escrava a manhã inteira e decido ir correndo na hora do almoço ao salão pintar o cabelo e fazer as unhas. Até aí tudo bem, mas folheando revistas alienantes cismei que um determinado corte ficaria muito bem em mim. Eu devia ter imaginado que não, já que a mulher que me inspirou loucuras capilares era loura, ou seja, tinha genes superiores aos meus. Mas eu tinha que dar a fatídica ordem:- Corta. E claro que a rapariga sádica munida de tesoura tinha que obedecer e matar meus cachinhos. E navalhar minha sobrancelha. E não me digam que eu deveria tê-la mandado parar, ela estava armada, afinal de contas. Olho no espelho, engulo o choro que já sou uma mocinha, tiro o dinheiro da carteira com unhas vermelhas e saio falando sozinha, xingando todos os salões de beleza do universo.

Aula. Discussão feia com um bando de machistas nojentos. Uma colega me faz de longe um sinal para pentear o cabelo. Berro ainda mais alto impropérios contra os porcos chauvinistas que nos obrigam a obedecer os ditames da moda e dos padrões de beleza em nome da perpetuação da espécie.

Final da tarde eu chego na casa da amiga mestra. Reunião para acertar os últimos detalhes de um projeto. Tentam me consolar e dizem que meu visual está assim... anos oitenta. Faço cara de poucos amigos e mudo de assunto. Sugerem que eu adie minha viagem. Ah, mas nem morta, baby. Resolvo voltar para casa que a exaustão e o ódio já tomam conta do meu ser.

Pego o ônibus com uma mala que pego emprestada com a amiga mestra. Ônibus errado. Ando quase vinte minutos até chegar ao fiteiro perto de casa e implorar por quatro latinhas de cerveja. Resmungo sobre como o mundo é cruel e como odeio tesouras e motoristas e projetos e peso. A sujeita que ensacola minhas cervejas diz que o importante é que eu esteja com saúde e viva.

Tá porra, eu sei! Mas eu sou um poodle. E deixa eu resmungar que eu tô pagando.

7 comentários:

Mônica Wesley disse...

huahuahaaha
Cabelo cresce, até lá fuuuu.

Que mulher já não cagou o cabelo?
Faltou uma fotinho do visu anos 80.. o/

Caminhante disse...

Eu já aprendi uma coisa: não dá pra se basear no cabelo das loiras. Eu sempre amava os cabelos delas e quando via no meu, ficava aquela coisinha. Será que cortaram errado? Não, a culpa era do meu cabelo, o melhor, era de eu ter me baseado numa cor de cabelo que fica linda, que mostra todos os detalhes da tesourada.

Você pode assumir um curto de uma vez, pode andar com cabelo sempre preso. O que não pode deixar é que isso estrague tua viagem!

Leonardo Xavier disse...

Eu só tenho um protesto a fazer: a Christiane Torloni infinitamente mais bonita que a Madonna, em qualquer época e com qualquer corte de cabelo!

E eu acho que os cabelos com volume são bonitos, eu acho que você só não se acostumou com o novo corte ainda.

beijos

Borboletas nos Olhos disse...

Eu só vou dizer: curiosidade me mata. Vem logo, vem, vem...

Ricardo Chicuta. disse...

Eita,o clássico "O importante é ter saúde".Essa ela falou com toda a ironia do mundo...

naofumenacama disse...

kkkkkkkkkkk, agora nao vai andar na janela dos carros com a lingua pro lado de fora, hein?

Beijosssssss!

Sara-cura disse...

Essa eu quero ver...kkkkkk
Quem manda trair os cachinhos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...