quarta-feira, 23 de junho de 2010

Pegava

Bom, o negócio é o seguinte. Sei que pode não soar politicamente correto, mas acho graça mesmo em alguns sites como este aqui. Esse tipo de site (ou blogs ou sei lá mais o que) é normalmente escrito por um homem entre vinte e cinco/ vinte e nove anos de idade (nunca acima disto), que estão no auge da vida sexual, das farras e da fama na Internet (e claro se aproveitam de ambas as coisas), abusam do humor sórdido e são muitas vezes escancaradamente machistas.
Gosto deles, admito, principalmente porque dizem algumas verdades que deveriam me parecer óbvias (tão experiente que penso ser), mas não, ainda não o são. Para mulheres em geral (e me enquadro aqui) não existe nada mais complicado que a simplicidade masculina. Claro que não estou colocando todos os homens no mesmo saco, não é isso. Mas se despirmos nossos companheiros, amigos, paixões, ficantes, amantes, da fantasia de delicadeza que nós mesmos por vezes, os obrigamos a vestir, veremos que no fundo, todos acabam por se parecer no que concerne a um assunto. Nós, mulheres.
É engraçado também me colocar no papel da palhaça louca vez ou outra. Porque convenhamos, muitas das histórias que conto aqui, se escritas pela ótica dos caras que são seus protagonistas (e coincidentemente pelo menos no que diz respeito à idade, se enquadram no perfil dos caras que escrevem nesses sites) seriam completamente diferentes. Por exemplo, lembram dos caras meus amigos que quando chegaram uma noite aqui em casa, me deixaram em pânico romântico? Pânico este resolvido num texto/desabafo/drama mexicano em que eu citei Caio F. Abreu, claro (mais mulherzinha impossível)? Eles provavelmente deviam estar pensando: - Oba, já deu pros dois, quem será que vai pegar hoje?
Pois é, amigas, simples assim.
Acho engraçado também imaginar que um texto bêbado e cheio de entrelinhas que escrevo possa despertar o seguinte pensamento num homem: - Eu, hein, a mulher tá desesperada.
Acho mesmo.
Então me perdoem, mas apesar do fato de zoar de minha pessoa enquanto espécie, e descrever mulheres como eu, com pouco afeto, ele foi para os meus preferidos.
E sim, provavelmente não faço o tipo de um cara como aquele (estes), mas eu o pegava lindamente (coisa de mulher baixa, essa última colocação, não?).
Enfim...

6 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Como sou confessa e abertamente não-feminista, devo dizer que só não gosto de palavrões e vulgaridade pelo meu triste defeito de corar...mas adoro a simplicidade e objetividade masculina. Só que prefiro temperada pelo refinamento da idade, por isso nem quando tinha 18 gostava dos caras com menos de 30. Magina hoje que sou velhinha decrépita. Pegar? Pego sim, tem que ter alguma vantagem conhecer a Marquesa de Merteuil.

Angélica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Angélica disse...

No way ¬¬. Indico este: http//vitorf.blogspot.com/
Isso é simplicidade. Ou ainda este: lanuxland.com.br

Caminhante disse...

Eu tbm acho esses sites muito úteis. Porque refletem o senso comum, aquilo que os homens pensam e nunca nos dirão. Claro que a gente espera encontrar homens mais evoluídos e que critiquem essa postura; mas é sempre bom saber com que estamos lidando - nem que seja pra contrariar.

Leonardo Xavier disse...

kkk, sinceramente. Eu não te imaginaria lendo o site do Morroida. Eu acho ele engraçado, não creio que o Fábio seja daquele jeito de verdade. Eu acho que é um personagem que ele criou que por sinal é bem polêmico, tem uns exageros, mas também tem lá suas verdades.

S. disse...

Brabuleta, a Marqueas somos nós todas, n? rsrsrsrr. Esposa, sarcasmo tb é carinho.rsrsrsrsrr.
Caminhante linda, eu rezo todo dia mesmo, mesmo. Ainda mais qd leio sites como o que citei nesse post. tenho fé, muita fé. rsrsrr.
Léo, eu tb sou adepta dos risos escandalosos e sem sentido e somos todos nós personagens, n é mesmo?
Beijos gripados a todos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...