segunda-feira, 21 de junho de 2010

Na fila do pão


Imagem de Shiko

Quando eu o conheci ele não me pareceu interessante. Sempre me questiono em que momento aquele homem passou a significar tudo. Eu vivia em estado de vigília e de prontidão. Para mudar o mundo se ele assim o quisesse. Para tirar a roupa e me fantasiar de sua invenção feliz.
Ninguém entendia o porque desse homem na minha vida e no meu coração. Mas eu o sabia. E isso bastou por algum tempo.
Como explicar que as noites eram perfeitas e os dias eram postos para fora daquele quarto cheio de livros e de tubos de tinta e pincéis? Que eu nunca fui tão eu mesma com alguém?
Era um amor em cores berrantes. Eu estacionava meu carro vermelho na frente da casa de janelas verdes dele e o paraíso era feito desses contrastes.
No entanto, aos poucos, eu comecei a notar que nossa história era uma invenção apenas minha. Triste assim.
Foi esse homem que encontrei ontem. E nunca é indolor encarar nossas ilusões de plenitude destruídas e espalhadas num chão qualquer.
Não posso negar que ele foi simpático. Ele sempre é.
Como ele consegue depois de ter sido o único homem que me viu completamente despida de mentiras?

E a música era essa:

Último Romance
Los Hermanos

Eu encontrei quando não quis
Mais procurar o meu amor
E quanto levou foi pr'eu merecer
Antes um mês e eu já não sei
E até quem me vê lendo o jornal
Na fila do pão, sabe que eu te encontrei
E ninguém dirá que é tarde demais
Que é tão diferente assim
Do nosso amor a gente é que sabe, pequena
Ah vai!
Me diz o que é o sufoco que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar
E se o caso for de ir à praia eu levo essa casa numa sacola
Eu encontrei e quis duvidar
Tanto clichê deve não ser
Você me falou pr'eu não me preocupar
Ter fé e ver coragem no amor
E só de te ver eu penso em trocar
A minha TV num jeito de te levar
A qualquer lugar que você queira
E ir onde o vento for
Que pra nós dois
Sair de casa já é se aventurar
Ah vai, me diz o que é o sossego
Que eu te mostro alguém afim de te acompanhar
E se o tempo for te levar
Eu sigo essa hora e pego carona pra te acompanhar

5 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Sei demais. Sei tanto que li duas vezes. O bom é que passa.

S. disse...

Será, amiga? Jura por Deus?

Borboletas nos Olhos disse...

Sim, passa, qualquer dia conto-te uma estorinha de 10 anos com direito a fim de novela mexicana...

Belos e Malvados disse...

Meus amores intensos geralmente passam na mesma proporção. Depois não me causam nada. Garanto prá você que é triste, bem melhor a dor.

Sara-cura disse...

Lembro-me bem destes momentos, da janela do meu quarto, vendo aquele carro no meio da rua,
demonstrando a pressa de chegar na hora H.
Amiga meu último post não foi com vc não, vc sabe de quem falei, meu menininho é bem complicadinho, deixa eu pagar minha língua, ainda bem que com um grande e largo sorriso na cara...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...