domingo, 27 de junho de 2010

É só chamar

Então.../Se você quiser alguma coisa /E só chamar, chamar/ Eu irei correndo/Lutar/ E estarei à sua porta /Quando não houver nada/ Pelo qual valha a pena correr/
Quando você está decidida/ Quando você está decidida/Não adianta tentar mudar
Sabe /Você é como todo mundo/ Quando acontece algo ruim /Só o que você quer é ir embora
Correndo/ E ficar escondida sozinha
E você está tão longe de mim /E não há mais nada
Quando você está decidida /Quando você está decidida /Não adianta nem tentar conversar

Não sou de comentar sobre filmes, principalmente sobre os que amo. Mas hoje eu tenho que fazê-lo e como ele (o filme em questão) se entranha em mim como música de fundo enquanto escrevo, sinto-me simplesmente autorizada. Simples?
Once. Apenas uma vez.
A chamada de capa é “Com que freqüência você encontra a pessoa certa?”. Estrangeiros dentro de sí mesmos se esbarram. E compõe. E cantam juntos. E se amam. Não há um só beijo no filme inteiro. E não, eles não ficarão juntos.
Toda a história é contada através das músicas, e no entanto, também existem os olhares e os silêncios que fazem doer a alma. Não existem "atores" no filme. Todos são músicos que como o titulo diz, se arriscaram “apenas uma vez” no cinema.
A música deste filme ganhou o Oscar em 2008. “A canção é marcante e mostra como é possível se apaixonar aos poucos, lentamente, sem nem se dar conta disso – combinando bastante com a história de “Once””.
Eu recomendo que a escutem. Vai a tradução da letra.
E quem não é bobo que me entenda. Ele é simplesmente o homem que devia ter estado comigo hoje. Eu eu não o teria mandado embora.

Outros olhos

Eu não te conheço
Mas te quero
Ainda mais por causa disso.
O significado das palavras me escapa
E ela sempre me enganam
E eu não consigo reagir.
E jogos que nunca são mais do que jogos
Vão chegar ao fim

Pegue este barco que está afundando
e tome o rumo de casa
Nós ainda temos tempo

Levante sua voz esperançosa,
você teve escolha
E você a fez agora
Se apaixonando lentamente, olhos que me conhecem
E eu não posso voltar atrás

Estados de espírito que se apoderam de mim
e me anulam
E eu fico deprimido

Bom, você já sofreu o bastante
E lutou consigo mesma
Está na hora de você vencer
Pegue este barco que está afundando
e tome o rumo de casa
Nós ainda temos tempo
Levante sua voz esperançosa,
você teve escolha
E você a fez agora
Se apaixonando lentamente, cante sua melodia
Eu cantarei junto

6 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Vou tratar de me apaixonar, ops, de ver o filme. E de não mandar ninguém embora.

Caminhante disse...

Pode apagar meu comentário, só vim aqui dizer que tem um N a mais no Lispector do teu perfil. Beijos ;)

Belos e Malvados disse...

Once é uma delicadeza, não é? Vi novamente semana passada (lembra que falei que estava com saudade dele?), sempre mexe demais comigo tb.

Fred Caju disse...

Eu nunca vi esse filme, mas agora tive vontade.

Bom, dia 09 vestirei a minha melhor roupa e vou prestar contas à sociedade depois de uma longa pesquisa que vinha desenvolvimento. Infelizmente, a minha prestação de contas representa não apenas a conclusão do trabalho, mas que também estarei desempregado. Mas isso não é assunto, a se tratar por aqui. Fico lisonjeado com o convite, mas infelizmente será impossível freqüentar as terras paraibanas no dia 08, entretanto há uma possibilidade em novembro passar por aí a trabalho. Quem sabe, né?

Belos e Malvados disse...

S, vc conhece um filme argentino chamado "Chuva"? É de 2008. Algo me diz que vc gostaria dele.

Angélica disse...

pelo jeito quando eu voltar vc vai estar casada e com 3 filhotes de cachorro! kkkkkkk

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...