segunda-feira, 25 de abril de 2011

A pé

"Perder-se também é caminho."
Clarice Lispector

Há algum tempo a amiga-esposa me apresentou esse blog com a seguinte taxativa: - Isso sim é que é homem de ser ler...

Fui, gostei, e cheguei até a utilizar um de seus textos como mote para uma dissertação. Depois disso, passei uns tempos sem ir lá, não sei bem porque... acho que perdi as coordenadas para voltar, enfim... quaisquer destas coisas da vida...

Até que notei a Clara e a Borboleta lançando tal qual duas doidas, pedrinhas poéticas de um cara no lago facebookiano. O nome não me pareceu estranho, fui ver mais de perto e touché: Era ele.

O ele nesse caso se chama Vitor Freire e escreve coisas como estas:

“(...) Eu queria arrumar as coisas na minha cabeça, mas percebi que não tinha nada a te dizer. Tinha o mundo inteiro para nos contar, queria que a escrita organizasse algo. Não há o que ser organizado.Eu sinto a confusão. Não há entrelinhas aqui. Eu queria apenas gostar de você. Para ser mais leve, para ser compatível com o tempo presente. Mas, não. Eu quero construir essa confusão contigo. Com seu sorriso, com sua voz, com suas palavras. Eu sempre escrevo para inventar quem eu sou. Hoje comecei a escrever para te esquecer do que sou. O ínicio e o fim são ilusões. Somos sempre dentro.”

"Eu não te amo mais é o novo Te amo para sempre. Eu não te amo mais, porque seria impossível. Se fosse possível, te juro, falaria apenas: Não consigo te amar menos. E talvez você entendesse meu recado. Eu te quero. No meu mundo isso é mais romântico do que qualquer carta prolixa que eu te escreva. Ou qualquer dança em plena rua, com sussurros passionais no seu ouvido esquerdo. Internamente, eu decidi que o seu ouvido esquerdo seria o desleixado. Aquele que receberia sem discernimento o que me desse vontade. O ouvido direito receberia sempre algo que tivesse passado por muito pensamento, cuidado, reflexão. Durante todo esse tempo, eu só te disse uma coisa no seu ouvido direito. Eu te quero.”

“Antes de ir embora, eu toquei sua mão como um adolescente que encosta o dedinho na mão amada no escuro do cinema torcendo para que ela não desencoste. Se ela deixasse, sinal verdade. A permanência, ainda que completamente imóvel, era a mais vigorosa declaração de amor.Ela me olhou bem fundo e durante aquela que foi sua única frase na noite, o toque se tornou um carinho afetuoso. Ela disse com a convicção de quem não tem nada a perder, sede de tudo ganhar.
- Eu nunca desisto do que ainda não existe.”

Vão lá, vão lá, mais do que recomendo!!!

8 comentários:

Clara Gurgel disse...

AAAiiii,ADORO!!! Fiz até um "momento Vitim" lá no FACE!! Todo dia solto uma "cacetadinha" dele. Às vezes, até duvido que esse cara exista mesmo. Ui,ui,ui...

Borboletas nos Olhos disse...

Confesso que sou meio arriada pelas palavras dele. Mas não conta pra ninguém, tá? Ah, tu já contou pra todo mundo? Só não conta pra ele então, ;-)

Borboletas nos Olhos disse...

Amei a cara nova do blog, sou meio Ofélia....

Vitor Freire disse...

Confesso que fiquei um pouco atordoado. Só depois, consegui me sentir nu. E por fim, emocionado. "Há algum tempo" me deu um calafrio: Parecia que em algum momento você iria dizer que nos conhecemos em Salvador. Ou, mais ainda, te juro, que imaginei que você iria finalmente revelar que era você aquela paixão que atravessou toda minha infância e me fez chegar intacto na adolescência. Quando vi o "S." eu prendi o ar, porque queria ficar algum tempo com aquele ar respirado na iminência do reencontro. Mas não foi. Não foi isso. Mas nada me tira da cabeça sobre esse tempo que você inventou de mim. Nesse tempo, somos sim conhecidos de infância. Só posso te agradecer, porque você inventou um jeito próprio de se aproximar. Foi quase como se eu não fosse importante. E isso é lindo, porque é verdade. A minha importância estava toda nos seus olhos. E do que eles fizeram das minhas palavras.
Obrigado.

Para a Clara e a "Borboletas", só peço que tenham um pouco de cuidado com a minha vaidade. Vim comentar aqui completamente despreparado.

Espero poder encontrá-las, nem que seja de forma inventada. Que não seja uma invenção só minha.

Saravá!

Alexandre Henrique disse...

S. já que é dia de recomendar bons blogistas eu te recomendo esta moça a Fernada http://animalsentimental.wordpress.com , ela realmente surpreende. Beijos Alex.

Alexandre Henrique disse...

Ah sim ficou muito bonito o teu blog.

Menina no Sotão disse...

Hoje eu estou tão pele, tão nua, que conforme fui lendo fui ficando anestesiada com as sensações que me inundavam ainda mais. A imagem do seu blog diz tudo de mim. rs
ai ai ai ai
bacio

S. disse...

Vitor, setembro no Rio? Quem sabe a gente n se lembra...
Clarinha e borboleta, entreguei vcs n foi?
Ah, menina, pensei que me sabias tb adepta de clareiras. em florestas e em mim. rsrs
Xande, só vi tua ligação agora. tava no trabalho. te ligo depois.
Xerinho a todos...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...