sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Bonito



Eu meio altinha, resolvi ir cantar junto com a banda. Acho que Alceu Valença. Quando saí do palco um homem levanta da sua mesa e me chama para dançar. Gordo. Feio. Velho. Com um sorriso eu aceitei. Ele dançava bem, muito bem. A música acabou e ele me agradeceu a honra.

- Mas você dança muito bem, eu que tenho que agradecer. Isso não é fácil de se achar- Respondi.

Ele beijou minha mão e me chamou de linda. Sentei na mesa confusa e triste com a gratidão que pensei ver estampada em seu olhar. Tentei entender.

Nunca tive o que se pode chamar de beleza exuberante, sou mais interessante que propriamente linda. Mas nunca tive dificuldades em interagir com o sexo oposto. Já amei muito e fui muito amada.

Será que ele, esse homem feio e delicado teve a sorte de ser amado assim? Além ou apesar de sua aparência? Mas não é só isso... também fiquei imaginando quantos nãos na vida e em pedidos para uma dança um homem como aquele ouviu ao longo da vida. Espero que não muitos. Porque eu não quero acreditar que fiz algo grandioso ao dizer-lhe um sim.

Ele sim. Teve coragem de levantar da mesa. Continua pedindo. Ele é mais forte que eu.

E eu continuo apaixonada. Mas fugindo como boa covarde que sou, claro. Nego e pioro. Quero e pioro. E o feio-lindo que está longe continua sendo anseio e desejo. Minto. Minto. Quero mais não, é mentira. A verdade sou eu sozinha mais uma noite.

"E qual será o defeito da fala, se tua (minha) boca me (te) cala?"

O que é bonito?

Lenine


O que é bonito

É o que persegue o infinito
Mas eu não sou
Eu não sou, não...
Eu gosto é do inacabado
O imperfeito, o estragado que dançou
O que dançou...
Eu quero mais erosão
Menos granito
Namorar o zero e o não
Escrever tudo o que desprezo
E desprezar tudo o que acredito
Eu não quero a gravação, não
Eu quero o grito
Que a gente vai, a gente vai
E fica a obra
Mas eu persigo o que falta
Não o que sobra
Eu quero tudo
Que dá e passa
Quero tudo que se despe
Se despede e despedaça

O que é bonito...

2 comentários:

Leonardo Xavier disse...

O Xico Sá tem uma crônica em que ele fala do feio que eu acho fantástica. Ele fala que o galã ganha as moças por nocaute, já o feio ganha por pontos.
Eu acho que é meio que por aí.

E eu acho que também tem a questão do feio também busca compensar a falta de beleza, com mais conteúdo. E por sorte nossa, parece que as mulheres conseguem enxergar bem essa beleza interna.

Borboletas nos Olhos disse...

Como diz a música..."quem sou eu para falar de amor, se o amor me consumiu...". nesta mesma lógica, quem sou eu pra falar de belezura nos queridos, né? Você sabe que meu gosto vai de fio a pavio...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...